Exibir tudo

Infiltrações nos Pavimentos

A principal fonte de entrada de água no pavimento são as infiltrações superficiais, percolação do lençol freático, infiltrações nos bordos e água proveniente de degelo.

A infiltração superficial é a fonte mais impactante e sempre deve ser considerada no projeto de drenos superficiais. Sempre que possível, o nível do lençol freático deve ser rebaixado por meio da instalação de drenos profundos longitudinais, evitando, assim, que haja percolação para o interior da estrutura do pavimento. Caso isso não seja possível, a quantidade de água percolada do lençol freático para a camada drenante deverá ser estimada à parte.

O lençol freático deve ser rebaixado a uma distância na ordem de 1,50m da superfície do pavimento, no caso de grandes aterros, as drenagens superficiais nos bordos e nos taludes tem uma importância enorme. A captação da água nessas áreas protege os taludes e os pontos extremos dos pavimentos, onde o acúmulo de água traria grandes danos com a saturação das bases e sub-bases. Com a saturação dos elementos de suporte do pavimento, a capacidade de carga da estrutura diminui drasticamente se tornando vulnerável após um longo período de exposição ao tráfego pesado.

A água proveniente de degelo é desprezível para as condições climáticas brasileiras.

No entanto, a infiltração pela superfície da pista de rolamento ocorre principalmente através das fissuras, trincas e juntas mal seladas que, inevitavelmente, vão surgindo ao longo do tempo pelas ações do tráfego e das intempéries, além de infiltrar pelas trincas ou juntas entre a pista e o acostamento, pelos próprios acostamento não revestidos ou pelas valas laterais ao pavimento.

É muito importante a conscientização de todos que um dos maiores inimigos do pavimento é a água livre.



 
 

Ajuda? Chat via WhatsApp